Volta às aulas – Estado voltará com um terço dos alunos

0
54
FL PITON/ARQUIVO

Escolas da rede estadu­al paulista devem funcionar com apenas 35% da capa­cidade nas duas primeiras semanas de fevereiro. Cada unidade poderá definir a própria rotina, mas a propos­ta é que os estudantes façam rodízio e frequentem a escola uma ou duas vezes por sema­na no início do ano letivo.

As aulas no Estado devem ser retomadas em 1º de feve­reiro. Em dezembro do ano passado, uma resolução es­tadual definiu que as unida­des abririam mesmo na fase vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo. Atualmente, as regiões de Marília, Soroca­ba, Registro e Presidente Pru­dente estão na fase laranja.

O restante do Estado, in­cluindo Ribeirão Preto e mais 25 cidades da área de abran­gência do 13º Departamen­to Regional de Saúde (DRS XIII), segue na fase amarela. A resolução de dezembro ha­via estabelecido retorno de até 35% dos alunos nas fases la­ranja e vermelha, 70% na fase amarela e 100% na fase verde.

Nas duas primeiras sema­nas do ano, porém, mesmo as regiões da fase amarela deverão voltar só com 35% dos alunos da rede estadual. A medida valerá apenas para a rede estadual – as redes mu­nicipal e privada poderão se­guir os percentuais definidos no Plano São Paulo.

Os municípios também podem ser mais restritivos do que o Estado, como é o caso da capital paulista, que só autorizou o retorno para aulas regulares no ensino médio. O governador João Doria (PSDB) e os secretários Rossieli Soares (Educação) e Marco Vinholi (Desenvolvi­mento Regional) apresenta­ram, nesta quarta-feira, 13 de janeiro, aos 645 prefeitos paulistas, os detalhes da volta às aulas presenciais.

O prefeito Duarte No­gueira (PSDB) participou da videoconferência. No encon­tro online também foi anun­ciado investimento de R$ 80 milhões para o programa de ampliação de oferta de vagas em creches escolares. Ainda nesta quarta-feira, o Con­selho Estadual de Educação decidiu pela obrigatoriedade de professores e estudantes retornarem à escola, posição defendida em dezembro por Rossieli Soares.

A Secretaria Estadual da Educação defende a re­abertura das escolas para atendimento emocional dos estudantes e para reduzir as defasagens de aprendizagem. A Secretaria da Educação diz não haver “qualquer embasa­mento científico” para barrar o retorno em fevereiro. Os anos letivos de 2020 e 2021 serão considerados como um único ciclo contínuo. Por isso, a avaliação da apren­dizagem será feita ao longo de oito bimestres (quatro de 2020 e quatro de 2021). Os alunos que entregaram as ati­vidades propostas podem ter sido aprovados, mas terão o aprendizado avaliado ao final de 2021.

No começo do ano, na re­gião, que envolve três das 91 Diretorias Regionais de Ensi­no (DREs) – Ribeirão Preto, Sertãozinho e Jaboticabal –, estavam matriculados 99.432 alunos de 165 escolas da rede estadual, sendo 47 mil em 82 unidades na capital da Região Metropolitana. Nos 645 muni­cípios paulistas são cerca de 3,5 milhões de estudantes e mais de cinco mil unidades.

Confira as datas das aulas para este ano

Recesso escolar……………………………………………….18 a 25 de janeiro
1º bimestre…………………………………………1º de fevereiro a 16 de abril
Recesso escolar…………………………………………………..19 a 23 de abril

2º bimestre………………………………………………. 26 de abril a 5 de julho
Férias docentes……………………………………………………. 6 a 20 de julho

3º bimestre…………………………………………..21 de julho a 8 de outubro
Recesso escolar…………………………………………….. 11 a 15 de outubro

4º bimestre………………………………….18 de outubro a 21 de dezembro