Tribuna Ribeirão
DestaqueGeral

Olimpíada de Matemática terá participação de 1,3 mil presos de RP 

Evento nacional que está na 19ª edição vai contar com aumento de 5,45% no número de presos da região 

Região de Ribeirão Preto registrou aumento de 5,46% no número de presos inscritos para Olimpíada de Matemática (SAP/Divulgação) 

Por: Adalberto Luque 

Os presídios da região de Ribeirão Preto serão representados por 1.333 presos na 19ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). A primeira etapa das olimpíadas será realizada no dia 04 de junho.  

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), os presídios subordinados à pasta inscreveram 14.504 reeducandos nas olimpíadas, considerada a maior competição científica do País. Esse número representa um aumento de 0,43% no número de inscritos em 2024, em relação ao ano anterior. 

Os exames são divididos por grau de escolaridade: Nível 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental), Nível 2 (8º e 9º anos) e Nível 3 (Ensino Médio). Os números estão distribuídos da seguinte maneira: no nível 1, são 3.461 inscritos; no nível 2, são 4.285; no nível 3, são 7.758. 

Nos presídios da região de Ribeirão Preto, o número de inscritos subiu 5,46% em relação ao ano anterior. As inscrições em 2024 foram para 1.333 contra 1.264 no ano anterior. 

Prêmios, medalhas e certificados 

Para incentivar a participação de alunos de escolas públicas e particulares, a Obmep premia separadamente os participantes. Os 500 primeiros colocados das escolas públicas recebem medalhas de ouro. Na sequência outros 1,5 mil participantes melhores colocados recebem medalha de prata e 4,5 mil de bronze. Além disso, 45 mil certificados de menção honrosa são entregues para os melhores colocados seguintes. 

Alunos de instituições privadas recebem 150 medalhas de ouro, 450 de prata e 1,250 de bronze, além de 6 mil certificados de menção honrosa.  

Os reeducandos custodiados na SAP participam da olimpíada desde 2012. Em edições anteriores, foram cinco importantes conquistas: Um ouro, três pratas e um bronze. A medalha de ouro, conquistada por um preso colombiano que à época cumpria pena na Penitenciária de Itaí, foi a primeira de um recluso no Brasil e ocorreu em 2017. Com empenho, centenas de custodiados já receberam certificados de menção honrosa pelos resultados obtidos nas provas de matemática. 

Estímulo 

Segundo a SAP, com o objetivo de preparar as pessoas privadas de liberdade para o retorno à vida em sociedade, a pasta, em parceria com a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) vem estimulando os reeducandos a participarem da olimpíada de matemática. 

Realizada pelo Instituto Nacional de Matéria Pura e Aplicada (Impa), a Obmep é uma realidade no sistema prisional paulista e a participação dos reeducandos ocorre por meio das escolas vinculadoras, que são geridas pela Seduc nas unidades penitenciárias. Essas escolas ofertam o ensino formal às pessoas privadas de liberdade que não possuem formação escolar concluída, com a realização dos cursos de Ensino Fundamental e Médio. 

Por meio de parceria da SAP com outras instituições, os reclusos também participam de cursos de línguas, profissionalizantes e do Ensino Superior. 

 

 

 

 

 

Postagens relacionadas

Concurso público unificado terá 6,5 mil vagas  

Redação 2

Botafogo – Um século de tradição e muitas conquistas

Redação 1

RP Mobi quer cobrar taxa de eventos  

Redação 2

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade. Aceitar Política de Privacidade

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com