Tribuna Ribeirão
Geral

PF vai investigar se JBS tentou comprar tribunais

O ministro da Justiça, Tor­quato Jardim, determinou nesta sexta-feira, 8, que a Po­lícia Federal (PF) abra uma in­vestigação sobre informações publicadas pela revista “Veja” que trazem indícios de que a empresa JBS possa ter tentado influenciar decisões do Poder Judiciário.

Jardim dá prosseguimen­to, desta forma, a um ofício que recebeu do ministro Gil­mar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, nesta sexta­-feira, pedindo a análise das declarações da reportagem que trata de documentos e conversas mantidas pela ad­vogada Renata Gerusa Pra­do Araújo com, entre outras pessoas, o diretor jurídico do Grupo J&F e delator Francis­co Carlos de Assis.

São citados nos diálogos da advogada os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Napoleão Maia, Mauro Campbell e João Otávio No­ronha, além do próprio Gil­mar Mendes.

Os conteúdos foram en­tregues às autoridades de in­vestigação pelo ex-marido da advogada, Pedro Bettim Jaco­bi. No diálogo, a advogada e o diretor jurídico mencionam tráfico de influência e supos­tos “pagamentos em espécie” a três ministros do Superior Tribunal de Justiça.

Um dos citados foi o pró­prio Gilmar Mendes, em um contexto no qual a advogada Renata Araújo conta a um marido ter recebido, assim que veio a público a dela­ção da JBS, apelos de Dalide Corrêa, que já foi diretora do Instituto Brasiliense de Di­reito Público (IDP), do qual o ministro do STF é sócio­-fundador. A advogada Rena­ta Araújo dá a entender que Dalide queria evitar a divul­gação de algo supostamente comprometedor para ela e para o ministro.

Postagens relacionadas

Larga Brasa

Redação 1

PUBLICIDADE: São Francisco

Redação 1

Proibição de fogos vai depender do STF

Redação 1

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade. Aceitar Política de Privacidade

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com