ALFREDO RISK/ ARQUIVO TRIBUNA

Para combater o déficit operacional registrado no primeiro semestre de 2019, o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômi­co de Ribeirão Preto (Coderp), Aurílio Sérgio Costa Caiado, propôs uma reestruturação ao Conselho de Administração da empresa em reunião no mês de agosto. Após apresentar a situação financeira e econômica da companhia, a decisão no corte de gastos foi unânime.

“A Coderp apresenta um déficit operacional acumulado no primeiro semestre de 2019 em torno de R$ 4 milhões. Os custos operacio­nais chegam a R$ 19 milhões e as receitas giram em torno de R$ 15 milhões”, detalhou o presidente. Entre 2010 e 2016 a empresa não recolheu todos os impostos. Isto gerou um passivo com a Receita Federal de aproximadamente R$ 150 milhões.

Atualmente parcelada, essa dívida compromete o orçamento da Coderp em cerca de R$ 900 mil ao mês. A companhia só está com equilíbrio financeiro porque a prefeitura de Ribeirão Preto tinha uma dívida de cerca de R$ 28 milhões. Esse valor foi parcelado e, atual­mente, o Palácio Rio Branco paga R$ 1,4 milhão por mês – o projeto foi aprovado na Câmara em 9 de maio. Pela proposta, o débito de R$ 28.059.853,28 foi dividido em 20 parcelas – um ano e oito meses.

Segundo o presidente Aurílio Caiado, “enquanto a Coderp estiver recebendo este parcelamento, as contas permanecem positivas. Porém, é urgente realizar uma forte reestruturação na empresa para que, antes de setembro de 2020, quando estiver no fim esse paga­mento da dívida a ela, sua situação esteja saneada”. Por esse motivo, em agosto de 2019 foram extintos três setores que atuavam sem contratos e estavam cronicamente deficitários.

O Serviço de Atendimento ao Munícipe (SAM-156), gestão de geren­ciamento (GED) e o setor de microfilmagem (Micro) foram extintos. Esse foi o primeiro passo no sentindo de reestruturar a Coderp, ge­rando uma economia mensal de R$ 217 mil. A companhia demitiu 16 funcionários celetistas da equipe do SAM. Eles foram dispensados porque a o sistema de teleatendimento foi terceirizado para a Access Cobrança Contact Center e Instituto de Pesquisa Ltda-ME, da cidade catarinense de Joinville.

Pelos serviços prestados, a empresa contratada via licitação receberá R$ 21,6 mil mensais, R$ 18,4 mil a menos, economia de 46%. Para vencer o certame, a Access ofereceu o valor global de R$ 259,89 mil, ou seja, 40,3% inferior ao estimado pela prefeitura no edital, de R$ 435.653,88, desconto de R$ 175.763,88. O contrato vale por doze meses.

As ações de reestruturação estão sendo planejadas pela nova dire­toria com o objetivo de um reposicionamento estratégico da com­panhia, que gere uma nova situação de equilíbrio e evite despesas. A Coderp tem dentre suas principais atribuições prover soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), sendo responsável pelo desenvolvimento, manutenção e evolução de todos os sistemas de informática que atendem a administração pública direta e indireta do município de Ribeirão Preto.

Comentários