INSS suspende prova de vida por mais dois meses

0
27
PILAR OLIVARES/REUTERS

Em razão da continuida­de da pandemia de covid-19, o Ministério da Economia e o Instituto Nacional do Se­guro Social (INSS) anuncia­ram nesta terça-feira, 23 de fevereiro, a prorrogação por mais de 60 dias da suspen­são da necessidade de prova de vida para aposentados e pensionistas.

“É uma medida para dar tranquilidade a todos os apo­sentados e pensionistas”, des­taca o secretário especial de Previdência e Trabalho do Mi­nistério da Economia, Bruno Bianco. O governo também anunciou a expansão do uso da prova de vida por biome­tria facial, de 500 mil pessoas no projeto piloto para os 5,3 milhões de aposentados e pen­sionistas que não realizaram a prova de vida em 2020.

O presidente do INSS, Le­onardo Rolim, explica que a prova de vida digital poderá ser feita por meio do aplicativo “Meu gov br”, sem que as pes­soas precisem ir a uma agência bancária. As informações se­rão comparadas com as bases de dados biométricos do Tri­bunal Superior Eleitoral (TSE) e do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

“A partir de maio, a prova de vida voltará a ser obrigató­ria. E isso pode ser feito tam­bém pelo celular, sem sair de casa”, detalhou Rolim. “Esta­mos confiantes de que a maior parte da população conseguirá fazer a prova de vida de manei­ra simples”, completa.

Para Bianco, a tecnologia possibilitará que servidores do INSS possam ser rema­nejados para outras áreas do órgão. “De maneira otimis­ta, a pandemia nos obrigou a tomar com mais rapidez medidas que já tomaríamos. A prova de vida digital traz dinâmica, segurança, prati­cidade e faz com que pos­samos ser mais objetivos e simples na prestação dos serviços. A população ga­nha e o setor público tam­bém ganha”, avalia.