iOS 14 sofre de um antigo problema do Windows

0
18

Alguns especialistas em tecnologia não estão muito contentes com a fase de transição e adaptação pela qual o iOS 14 está passando. Segundo Adrian Kingsley-Hughes, autor internacionalmente conhecido por suas publicações sobre tecnologia, o problema não está nas mudanças propriamente ditas, mas na forma como essas mudanças ainda não foram adotadas de forma generalizada.

“Lembro-me do Windows passando por essa fase. Em um momento, você estava usando uma nova interface de usuário e, alguns cliques depois, estaria usando a antiga. É uma coisa pequena, mas a consistência é importante”, escreveu Kingsley-Hughes em sua coluna para o portal ZDNet.

Ainda de acordo com o autor, o problema é que a Apple e tantas outras fabricantes fazem mudanças apenas por fazer e não porque existe uma real necessidade de melhoria em alguns aspectos. “O iOS 14 está sofrendo com isso”, opinou.

Um exemplo é o aplicativo Relógio que, agora, com a nova versão do iOS, permite que o usuário escolha o horário do Alarme por digitação no teclado dentro de uma abertura na interface. Antes, o processo era feito com barras de rolagem mais intuitivas e a mudança pode parecer um pouco brusca demais.

Reprodução

Nova interface do menu Alarme. Imagem: Olhar Digital

“Outra coisa que estou notando é uma mistura do antigo e do novo, especialmente no aplicativo Ajustes. Em alguns lugares, fica claro que a Apple pensou muito em oferecer bons recursos visuais que realmente ajudam a explicar o que está acontecendo. Em outros lugares, você só precisa adivinhar o que algo faz. É estranho”, disse Kingsley-Hughes. Um bom exemplo de algo que a Apple tentou explicar visualmente foi a Aparência (Ajustes > Tela e Brilho). Ainda assim, isso é exceção.

O autor também reclamou do aplicativo Ajustes, que, segundo ele, se tornou uma bagunça. “Isso me lembra do Painel de Controle do Windows. Para encontrar qualquer coisa, você precisa ir caçar ou usar o recurso de pesquisa (que é irregular e só funciona se você souber o que está procurando)”, afirmou Kingsley-Hughes.

Outro exemplo utilizado pelo autor para mostrar essa discrepância foi o picture-in-picture (PiP), recurso que está praticamente oculto em Ajustes > Geral > PiP enquanto Tela e Brilho, Tela de Início e Imagem de Fundo estão dispostos como menus já na primeira página do aplicativo Ajustes. “Parece que não há lógica na maneira como as coisas são organizadas e, quanto mais isso é adicionado, mais bagunçado fica tudo”, expressou Kingsley-Hughes.

Reprodução

Tela e Brilho, Tela de Início e Imagem de Fundo dispostos como menus individuais no Ajustes. Imagem: Olhar Digital

Para ele, já está na hora de a Apple fazer uma limpeza para simplificar e padronizar as coisas.

Comentários