‘Não posso julgá-lo’, diz Tite sobre Neymar

0
27
LUCAS FIGUEIREDO-CBF

Compenetrado, medindo bem as palavras e ladeado pelo auxiliar técnico Cleber Xavier e pelo coordenador Edu Gaspar, o técnico da seleção brasileira, Tite, concedeu uma entrevista coletiva que durou 47 minutos nesta segunda-feira. E o assun­to quase na íntegra foi Neymar. O treinador não fez uma defe­sa direta do atacante – que está sendo acusado de estupro -, mas disse que “não pode julgá -lo”. O técnico ainda afirmou que o jogador é “imprescindí­vel tecnicamente”, mas comple­mentou que isso não significa que seja “insubstituível”.

O treinador sabia que seria bombardeado por perguntas sobre seu principal atacante, assim como já acontecera no dia da convocação, quando a temática foi a agressão a um torcedor quando estava defen­dendo o Paris Saint-Germain. Dessa vez, contudo, ele agiu di­ferente: Tite respondeu a todas as perguntas, mas não se apro­fundou em nenhuma delas no momento em que o jogador é alvo de acusação de estupro.

“Primeiro eu sei da impor­tância do assunto, sei da real dimensão. Sei também que o as­sunto é pessoal e tem um tempo para que as pessoas possam jul­gar os fatos. Eu não vou julgar”, disse Tite. “Os assuntos que nós tratamos, pessoais, foram leais. Eu não posso julgar.”

Dizendo-se “em paz”, Tite classificou Neymar como “extraordinário jogador de futebol”. E foi além. “Tecnica­mente ele é imprescindível (à seleção)”, afirmou o treinador. Depois, completou: “quando a gente fala imprescindível, não quer dizer insubstituível”.

Paciente
Mais do que na entrevista que deu no dia da convoca­ção da seleção brasileira para a Copa América -, Tite argu­mentou que seu foco na Granja Comary não é apenas o atacan­te. “Entendo que vocês tenham a busca de informações, mas quero que vocês entendam também que meu foco é a pre­paração de um grupo de 23 para enfrentar o Catar”, decla­rou, citando o amistoso desta quarta-feira, em Brasília.

Comentários