Restaurantes abrem 65 vagas de trabalho

0
41
RAFAEL CAUTELLA

Depois de o Outback Ste­akhouse anunciar que vai contratar 70 funcionários para sua segunda unidade em Ribeirão Preto, no Sho­pping Iguatemi, ainda este ano, mais dois restaurantes do empreendimento divulga­ram que também estão com 65 vagas de trabalho abertas.

O Café Paris 6, que ficará no Piso Superior do Iguate­mi Ribeirão Preto, está com cerca de 15 vagas abertas para diversas funções. Os interessados podem partici­par do processo seletivo en­viando o currículo para an­[email protected] br. Já instalado no centro de compras, a unidade do Coco Bambu também está com va­gas abertas.

O quadro de funcionários foi afetado com a pandemia. São 50 oportunidades no total para diversas funções como atendente, auxiliar de cozinha, entre outros. Os interessados podem enviar e-mail para ge­[email protected] com com currículo e área de­sejada. O Shopping Iguatemi fica na avenida Luiz Eduardo Toledo Prado nº 900, na Vila do Golfe, Zona Sul.

O setor de bares e restau­rantes de Ribeirão Preto deu início à fase de recuperação gradual em agosto, depois de cinco meses sem atendimento presencial por causa da pan­demia do novo coronavírus. A conclusão tem por base uma pesquisa feita pela Associação de Brasileira de Bares e Restau­rantes (Abrasel) da cidade.

Segundo o levantamento, mais de 90% dos empresários do segmento acreditam que devem abrir contratações até janeiro de 2021. Os dados tam­bém indicam que dentre os donos deste tipo de estabeleci­mento na cidade, mais de 55% apostam na volta à “normali­dade” nos próximos meses.

“O cenário é otimista e esta­mos contando com a melhora no quadro do novo coronavírus em Ribeirão Preto, como os nú­meros têm mostrado. É um pe­ríodo de se preparar, mas tam­bém de observar”, alerta Renato Munhoz, presidente da Abrasel. Com a reabertura, várias redes e estabelecimentos estão atrás de mão de obra especializada e também de iniciantes.

De acordo com o levan­tamento, 79% do comércio de alimentação fora de casa devem contratar até 25% dos funcionários perdidos durante o auge da pandemia na cidade e 11% esperam recompor em até 50% o quadro de empregados nos próximos quatro meses.

Somente 9% dos bares e restaurantes contam com o quadro completo de funcioná­rios. A maioria das vagas são para garçom, auxiliar de cozi­nha, recepcionista e até geren­te. De acordo com a Abrasel, a orientação é que todos os cola­boradores recebam treinamen­to adequado para lidar com o novo formato de atendimento nesses estabelecimentos.

A pesquisa mostra que, no planejamento do setor, o cenário adequado referente a faturamento e contratação de funcionários deve levar, no mí­nimo, seis meses para voltar ao patamar de antes da crise sani­tária. Para 28,4% deles a aposta é que o ramo se recupere entre dois a seis meses. Para 26,9%, essa recuperação pode levar de seis a doze meses.

Segundo dados do Ca­dastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, a economia de Ri­beirão Preto fechou agosto com saldo de 810 novas vagas de emprego com carteira assi­nada, fruto de 6.538 admissões e 5.728 demissões.

No período da pandemia, entre março e agosto, a cidade eliminou 8.862 empregos for­mais, com 34.410 admissões e 43.272 demissões. Em oito me­ses deste ano, a economia ri­beirão-pretana ainda acumula déficit de 7.095 empregos for­mais, resultado de 52.803 con­tratações e 59.898 rescisões.

O setor de serviços regis­trou 3.629 novos empregos formais e 3.284 rescisões, su­perávit de 345 vagas. Neste ano, entre janeiro e agosto, são 29.933 contratações e 34.010 rescisões, déficit de 4.077 pos­tos. Já o comércio fechou agos­to com saldo positivo de 178 postos de trabalho, fruto de 1.642 admissões e 1.464 de­missões. No ano, o rombo che­ga a 3.266, resultado de 13.123 trabalhadores admitidos e 16.389 dispensados.

Comentários